Engenheiro avalia produção de pepino em estufas em Leverger Divulgação

Engenheiro avalia produção de pepino em estufas em Leverger Destaque

Escrito por  Mar 04, 2019

Na comunidade Morrinhos, localizada no município de Santo Antônio de Leverger (34 km ao Sul de Cuiabá), o engenheiro agrônomo da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Henrique Teodoro de Melo, cultiva pepino japonês na estufa e no sistema Tutorado em Rede Agrícola. Ele Implantou em sua propriedade, no Sítio Boa Esperança, uma Unidade de Referência Tecnológica (URT) para acompanhar a evolução da hortaliça e repassar para os técnicos e produtores rurais do Vale do Rio Cuiabá.

Com recurso próprio, o engenheiro Henrique construiu uma estufa de aproximadamente 300 metros quadrados para cultivar pepino japonês. Da família das cucurbitáceas, o pepino é considerado uma planta de rápido crescimento, que apresenta seu melhor desenvolvimento sob condições de alta temperatura, umidade relativa do ar, luminosidade e com suprimento de água e nutrientes.

De acordo com Henrique, o cultivo no sistema tutorado é irrigado por gotejamento. E faz uma previsão de colher durante dois meses em torno de dois mil quilos de pepino, ou seja, 100 caixas do produto. A colheita é feita no período do verão, tempo de consumir alimentos leves e refrescantes. Composto por 95% de água, o pepino se destaca em diferentes receitas culinárias. Em épocas de temperaturas altas, o pepino é uma das hortaliças que têm lugar certo nas refeições.

Satisfeito com o cultivo do pepino em ambiente protegido, o engenheiro quer repassar todos os dados dessa URT com custo de produção e produtividade para os agricultores. E pretende também fazer teste com o cultivo do tomate cereja. Ele acredita na inovação que utilizou para o cultivo da hortaliça e fala que empregou o sistema de Rede Agrícola para facilitar a colheita, melhorar a qualidade dos frutos, favorecer o controle fitossanitário, facilitar a realização de alguns tratos culturais e reduzir os custos de mão de obra. “Esse experimento quero dividir com os produtores interessados em cultivar a hortaliça”, enfatiza.

Conforme Henrique, ele agora está na fase de anotações e acompanhamento da evolução da planta e dos frutos. Ele pretende comercializar a produção para os atacadistas e restaurantes de Cuiabá e Várzea Grande. O preço do pepino, segundo o engenheiro, pode variar de R$ 40,00 a R$ 100,00 a caixa, dependendo da oferta do produto.

Pequenas áreas

O pepino japonês (Cucumis sativus L.), que é uma hortaliça de origem Africana/Asiática, apreciada e difundida em várias partes do mundo, tem despontado como uma importante alternativa de produção para pequenas áreas, principalmente em sistemas protegidos.

 

Fonte: Mt.gov.

    1. Mais vistas
    2. Destaques
    3. Comentários

    Calendário

    « Novembro 2019 »
    Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
            1 2 3
    4 5 6 7 8 9 10
    11 12 13 14 15 16 17
    18 19 20 21 22 23 24
    25 26 27 28 29 30